quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Souto da Casa



No passado Domingo dia 7 de Dezembro de 2008, a Desertuna foi convidada a participar pelo 3.º ano consecutivo no III Encontro de Tunas de Souto da Casa. As tunas convidadas foram as Moçoilas, tunas feminina da AAUBI, a Arrebitátuna, e a Carpetuna.
A viagem para Souto da Casa foi muito animada, pois no mesmo autocarro foram a Desertuna e as Moçoilas, eram só gargalhadas, música e alegria. Ao chegar a Souto da Casa deu-se lugar ao Passe Calles, pelas ruas do Souto, onde se entrou na 1.ª tasca para animar o pessoal. Depois de algumas musicas e copos continuamos o nosso caminho para as outras tascas, depois de muita animação, muita bebida, boa disposição e cantigas com a população chegamos ao fim da 5.º tasca e fomos jantar.
O encontro de tunas decorreu na Casa do Povo de Souto da Casa. Em primeiro lugar actuaram as Moçoilas, de seguida a Carpetuna e posteriormente a Arrebitátuna. Por ultimo foi a Desertuna, ou seja, tinhamos a noite toda pela frente. E assim foi. Muita alegria e animação foi o que o público pôde ver em cima do palco também muito devido a rotação que já levavamos do Passe Calles. Eram as nossas músicas, eram músicas populares, tudo se tocava e nesta actuação houve varias surpresas; como a de animar-mos o público com músicas da igreja, cantadas pelo Saxoman, ou então a nova versão do “Apita o comboio” picante, cantado pelo Jukebox. Até um pedido de casamento se deu de cima do palco, do nosso Xá Smile com a sua noiva da Arrebitátuna, a Rákles, momento bonito e simbolico sempre regado com bagaço com mel.
No fim da actuação a festa continuou com uma cantiga à desgarrada que durou mais de uma hora, entre os elementos da tuna, para se recordar os velhos tempos.
Na viagem de regresso, a animação com as Moçoilas continuou e chegados à Covilhã, depois de muito cansaço, havia estampado no rosto de todos uma alegria enorme.
Gostariamos de agradecer à organização do Encontro de Tunas de Souto da Casa por nos ter mais uma vez convidado, ao povo do Souto da Casa que foi espectacular connosco. Também queremos agradecer ao nosso Xá Alface Fresquinha, de quem já tinhamos saudades, às suas alfaces e às tunas presentes.
Aproveitamos também para felecitar o nosso Xá Smile e a Rákles pelo seu noivado e esperamos que o casamento se realize num dia igual a este.

Saudações Académicas

Lar de S. José

Como estamos numa epoca Natalícia, no passado dia 14 de Dezembro pelas 15 horas a Desertuna deslocou até ao Lar de São José espalhar o calor do deserto pelas salas e corredores do lar.
No lar, a ansiedade pela hora da nossa actuação reinava entre as pessoas, de modo que quando começámos foi possivel constatar no rosto das pessoas a enorme alegria que nós davamos, ao tocar e cantar musicas que outrora fizeram parte das suas vidas.
No final da actuação foi oferecido um lanche à tuna e feita a promessa de repetir no proximo ano.
A agradecer a hospitalidade do lar e a todas as pessoas que ficaram propositadamente a espera da nossa actuação.
A todos um bem haja, boas festas e muita saúde!

Homenagem a José Felix Rabasquinho

No dia 28 de Novembro a Desertuna deslocou-se até ao teatro-cine da Covilhã para prestar homenagem a José Felix Rabasquinho.
José Felix Rabasquinho foi árbitro durante 30 anos, é, e sempre foi, um homem do associativismo, e de há uns anos a esta parte, enfrenta o maior desafio da sua vida, a luta contra a esclerose múltipla.
Foi com um enorme gosto que a Desertuna estendeu, sobre José Felix e todos os seus queridos presentes neste dia muito especial, a alegria e harmonia vivida nestes jovens estudantes. Muitos dos presentes reviveram por um momento os bons e velhos tempos de estudante na faculdade, tempos em que todas as nossas atitudes são determinantes para o futuro. Tudo o que somos daqui a uns anos dependerá das nossas atitudes neste novo mundo, mundo esse que tem bons e maus caminhos e tudo dependerá da escolha.
Nesta altura difícil do campeonato, como a de José Felix, temos ainda esta fonte de alegria vivida nos velhos tempos de estudante para nos manter erguidos e nunca deixarmos de lutar.
Este é o pensamento de todos os elementos da Desertuna no fim desta actuação que foi muito mais do que uma actuação.

Saudações Académicas

I Gala da Desertuna

No dia 22 de Novembro de 2008, realizou-se a “I Gala da Desertuna”, com o intuito de reunir todos os seus elementos, principalmente os Xás, que, apesar de não nos poderem acompanhar como gostariam/ gostaríamos, são responsáveis pelo que esta Tuna foi, é e será.
Uma mancha negra começou a aglomerar-se em frente ao restaurante “Merendola II”, distribuindo-se beijos, abraços e valentes apertos de mão. Os camelos e ali-bobós apresentaram-se aos Xás e vice-versa, tendo sido contadas alguns momentos memoráveis.
Já no interior do restaurante, pegámos nos instrumentos e tocámos todo o tipo de música, dando depois espaço a algumas surpresas: a visualização de um vídeo com filmagens e fotografias nossas, a oferta de um saquinho de chá a todos os Xás e a passagem de um “Livro de Recordações” para que fossem escritas algumas palavras.
Depois de alguns brindes, todos os Magisters da Desertuna discursaram, dando-nos a conhecer um pouco mais da nossa história, acrescentando alguns pareceres relativos à evolução conseguida.
Chegada a hora, partimos para o Oriental de São Martinho, onde o bar do Buffalus e os nossos fãs nos esperavam. Na hora da verdade, fizemos o que melhor sabemos: cantar, tocar e animar o pessoal! Para ultimo, ficou reservado um pequeno desafio aos nossos “homenageados”: tiveram de tocar, sozinhos, o “Hino”. Fizeram muito boa figura (não fossem eles Desertunos!)
Terminada a actuação, o pessoal ficou confraternizando ao sabor da música do Dj Pedro Santos aka B. Franklin.
Resta-nos agradecer à organização, a todos os Xás presentes, ao Buffalus, aos nossos afilhados, aos nossos fãs, a todos que nos apoiam e que estão com esta grande Família, ao Oriental de São Martinho e a todos os que, de alguma forma, contribuíram para que este dia fosse memorável.
Uma coisa é certa: para o ano há mais!