quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Sarau de Natal da UBI


Foi no dia 18 de Dezembro que a Desertuna, tal como as outras tunas da Universidade da Beira Interior, actuou no pólo I da Universidade, para um vasto público entre o qual constava parte dos membros da Reitoria e comunidade administrativa Ubiana.

A diversão e boa disposição começaram a notar-se assim que a Desertuna chegou ao local do convívio. Mesmo antes de se iniciar toda a cerimónia, agarrou-se nos instrumentos e tocaram-se músicas alegres para os demais presentes, ouvindo-se então os primeiros aplausos. Após a actuação de várias tunas foi a vez da Desertuna actuar e espalhar a habitual alegria e diversão no público.

A seguir à actuação de todas as tunas foi então oferecido um lanche-convívio no bar do pólo I a todos os presentes. Elementos das tunas e público, num espírito festivo, serviram-se de todo o tipo de iguarias lá presentes: doces, salgados, bebidas e carnes... Tudo do melhor que havia para “matar o bichinho” pré-natalício de todos os que ali se encontravam.

No rescaldo da actuação, há que salientar a sua importância e o valor deste tipo de convívios na UBI, bem como a constante transmissão dos valores profissionais que são desenvolvidos por todas as entidades.

Há também que dizer que, nessa mesma noite, Rui “Fricas” Fazendeiro passou a fazer parte desta nossa família. Ao mais recente Xeque da Desertuna, muitos parabéns.

Aproveitamos para agradecer aos organizadores deste evento e desejar Boas Festas a todos.

Saudações académicas!

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Desertuna no I Rapagão


No passado fim-de-semana, 15 e 16 de Dezembro, a Desertuna rumou à cidade de Oliveira de Azeméis, para participar no I Rapagão – Festival de Tunas organizado pela Rapazinhos Real e Mui Nobre Tuna da Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis.

A tuna partiu a meio da tarde de sexta-feira, dia 14, com o espírito e alegria característico desta grande família. À espera estavam alguns tunos da Rapazinhos que nos acolheram nas instalações da Escola de Oliveira de Azeméis. Nem a chuva que nos saudou à chegada, fez esmorecer a boa disposição, pois, para além do festival que se avizinhava, o reencontro com alguns irmãos mais velhos estava iminente.

No segundo dia, e após o almoço, as tunas presentes foram recebidas na Escola Superior da Cruz Vermelha de Oliveira de Azeméis, onde se realizou o tradicional Porto de Honra e o Vereador da Cultura fez as honras da casa, agradecendo a presença das tunas e incentivando a sua colaboração para o desenvolvimento e o futuro da região.

Mais ao final da tarde a tuna animou o ambiente e aproveitou para aquecer as vozes para a actuação do festival.

Para a actuação do festival a prestação das pandeiretas no “Toninho” deu início a um arranque enérgico da tuna, seguido da doce e ternurenta “Covilhã”, em homenagem à nossa Cidade Neve. A actuação atingiu o seu auge com um outro original, a “Odisseia”, que deixou arrepios em palco, pela visão do Teatro Caracas a aplaudir de pé. A tuna saiu cheia de energia de palco e celebrou o momento com o famoso bagaço com mel, que não poderia faltar! Vários copos depois e a noite começava a assemelhar-se à anterior, diferindo apenas numa leve nostalgia pelo fim do festival, que infelizmente se aproximava a passos largos.
A classificação dos prémios do I Rapagão decorreu da seguinte forma:
Melhor Pandeireta: Desertuna - TAUBI;
Melhor Estandarte: Desertuna- TAUBI;
Melhor Solista: TAB - Tuna Académica de Biomédicas;
Melhor Instrumental: Desertuna - TAUBI;
Tuna Mais Tuna: TEUP – Tuna de Engenharia da Universidade do Porto;
Melhor Tuna: Desertuna - TAUBI;

Aqui fica novamente um agradecimento à Rapazinhos Tuna e a todos os que fizeram deste I Rapagão um festival inesquecível, em especial, ao público de Oliveira de Azeméis, aos que acompanharam a Desertuna, e às nossas fabulosas guias, oficiais e emprestadas...!

Saudações tunantes!

VIII Encontro de Tunas Académicas do Souto da Casa


Foi no passado Sábado, dia 8 de Dezembro, que a nossa mui nobre tuna se deslocou para os lados do Fundão, até Souto da Casa. Esta é já uma data garantida no calendário anual da Desertuna, pelo valor que este convívio tem para a mesma.

Este ano, além da habitual presença da Desertuna, o Encontro de Tunas Académicas contou com a presença da Egitúnica - Tuna Feminina do Instituto Politécnico da Guarda, da Tuna Feminina Albicastrense e da TinTuna – Tuna Académica da Egas Moniz.

A festa começou com um passa-calles pelas ruas e cafés do Souto da Casa. A tuna foi acolhida por toda a gente presente, e retribuiu com muita animação e muita música. Após vários quilómetros, muitas guitarradas e uma fantástica "cebolada", já o sol se tinha posto há algum tempo, foi hora de jantar. Durante o delicioso repasto houve uma pausa instrumental e tempo para convívio.

Regressando á “base”, chegou a altura da grande actuação. A Desertuna foi a última tuna a actuar, correndo o seu reportório habitual e mais algumas músicas com espírito mais festivaleiro, que animaram o público espectacular do Souto da Casa.




A alegria continuou pela noite dentro com guitarradas, muito convívio e algumas surpresas, sendo uma delas a passagem a tuno do nosso sempre tão “barulhento” (pois toca bombardino, não queremos difamar aqui ninguém) Pedro “Bimbas” Gonçalves, muitos parabéns!

Mais uma vez aqui fica o agradecimento à organização deste grande evento!
Até à próxima, Souto da Casa! ;)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Gala da Desertuna


No passado dia 24 de Novembro, para finalizar a semana comemorativa dos 10 anos da Desertuna, organizou-se uma gala para convívio de todos os elementos da tuna, especialmente dedicada àqueles que já não nos podem acompanhar tão bem como querem.

O convívio começou no pólo principal da UBI, no nosso local de ensaios, onde se juntaram a maior parte dos elementos da tuna. A alegria era visível nos rostos dos nossos elementos que punham a conversa em dia e, para aqueles que já não estão por cá, reviviam o estar no local de ensaios mais uma vez. De realçar, que foi mostrada aos mais velhinhos, a placa comemorativa dos 10 anos da Desertuna, afixada no hall do bar principal e que muito nos orgulha.



De seguida, a tuna deslocou-se para a Quinta das Flores, no Belozêzere, onde se iniciou a gala. Reunimo-nos todos numa acolhedora sala e, enquanto chegavam alguns elementos que vinham de mais longe, a tuna fez o que melhor sabe: Nada melhor para animar a tarde do que tocar algumas músicas, enquanto se relembra os tempos primordiais da Desertuna, com a família reunida.

No final da tarde, a tuna instalou-se na sala de jantar. O jantar iniciou com um discurso do nosso Magister seguido de discursos de alguns dos fundadores e outros elementos da nossa tuna, onde como é óbvio, predominaram as palavras de entusiasmo, alegria e satisfação da data alcançada.

O jantar prolongou-se pela noite dentro estando a música, a alegria e a bebida sempre presentes. Ao acabar o jantar, a Desertuna foi para os Leões da Floresta acabar a noite de forma animada e partilhando a alegria com as pessoas que lá se encontravam.

Parabéns Desertuna, que venham mais décadas como esta!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

O 10º Aniversário da Desertuna


Iniciando as comemorações da 1ª Década de vida, a Desertuna organizou na passada terça-feira, 20 de Novembro, o dia do seu aniversário:
Um Porto de Honra nas instalações da Reitoria da Universidade da Beira Interior, que contou com a presença de algumas entidades e pessoas que em muito contribuíram para o crescimento e formação desta tuna.

Numa tarde de convívio animada e recheada de laços de amizade e respeito, os amigos da Desertuna ouviram-na tocar, no antigo Convento de Santo António, a “Covilhã”, uma das suas músicas mais emblemáticas, de forma a homenagear e agradecer aos presentes o seu contributo para que fosse possível este 10º aniversário.


Já a noite caía sobre as colinas Covilhanenses, quando teve lugar nos Leões da Floresta a festa de comemoração desta tão importante data. Para assinalar este feito a Desertuna convidou a juntar-se a si a sua tuna Madrinha, a Copituna d’Oppidana – Tuna Académica da Guarda, e a sua tuna afilhada, a TUSALD - Real Tuna Académica da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias, que não pode actuar mas não deixou de estar representada.

Regadas com sangria e alimentadas de bifanas, que aqueceram o espírito, sem esquecer o habitual e tão aclamado bagaço com mel, a Desertuna e a Copituna presentearam os espectadores com duas calorosas actuações que, no caso da tuna aniversariante, teve até direito a bolo e champanhe. Bolo este que foi partilhado com quem vive todas as emoções de uma actuação com a Desertuna: o seu público.


Nesta noite cabe ainda assinalar o regresso da tão acarinhada Milou “Rataplan” Bobby e da apresentação da sua sucessora. Bem-vinda Milou “Laika” Boss.


Seguindo com a animação, a folia e o espírito de comemoração, a festa durou até largas horas...

Resta felicitar a Desertuna e os que dela fazem parte pelo seu 10º aniversário e dar em especial os parabéns aos seus 7 fundadores, que no dia 20 de Novembro de 2002 deram vida a esta tuna!


Parabéns Desertuna!