quarta-feira, 24 de abril de 2013

Animação na Gala de Ciências da Comunicação


No passado dia 20 de Abril de 2013 a Desertuna – Tuna Académica da Universidade da Beira Interior – fora convidada para a Gala de Ciências da Comunicação, esta dirigida para os seus  finalistas do ano lectivo corrente, no Hotel Tryp D. Maria, com o âmbito de animar a festa que já decorria. Com o repertório bastante animado que contava com “Hino à Desertuna”, “Toninho”, “Boémio Trovador”, seguida de uma música dedicada às donzelas presentes – “Balada do Desajeitado” – que foi desta vez cantada na voz de um elemento da tuna que pertence ao curso de Ciências da Comunicação. Para finalizar a já mais que conhecida “Caloirinha Dos Meus Sonhos”. A festa seguia em alta, e a pedido do público presente, a actuação teve ainda lugar para um tributo a uma das maiores bandas de rock portuguesas: “Tributo aos Xutos & Pontapés”, música na qual todo o público se juntou à tuna a cantar e a dançar.

E assim foi mais uma grande animação na presença da Desertuna, que entre a alegria e as lágrimas de futura saudade do público presente, animou esta Gala de Ciências da Comunicação.




Saudações académicas.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

A Desertuna no MTB 6.0


Na passada quinta-feira, 18 de Abril, a Desertuna rumou à cidade de Porto, para participar no MTB 6.0 – Música, Tunas e Boémia, a convite da Tuna TS - Tuna de Tecnologias da Saúde do Porto, neste festival participaram também as tunas:

TEUP – Tuna de Engenharia da Universidade do Porto;
Gatunos – Tuna Académica da Escola Superior de Estudos Industriais e Gestão;
TAUP – Tuna Académica da Universidade Portucalense IDH.

Arrancámos da Covilhã ainda na parte da manhã com o espírito e alegria característico desta grande família. À espera estavam alguns irmãos mais velhos que nos visitam sempre que podem.
Após uma tarde muito bem passada na companhia da boa música e muita diversão veio a hora de um jantar convívio.
A hora das tunas actuarem no Teatro Sá da Bandeira aproximava-se. Chegada a vez da Desertuna subir a palco pôde-se assistir à prestação das pandeiretas no “Toninho”, que deram início a uma actuação muito enérgica da tuna, seguido da doce e ternurenta “Covilhã”, em homenagem à nossa Cidade Neve. A actuação atingiu o seu auge com um outro original, a “Odisseia”, que deixou arrepios em palco, pela visão do Teatro Sá da Bandeira a aplaudir de pé. Finda a actuação era tempo de relaxar e acalmar as gargantas na companhia de uma boa dose de cevada. 
Alguns copos depois e podia sentir-se a noite a começar a formar, diferindo apenas o sentimento num leve pesar pelo fim do festival, que infelizmente se aproximava a passos largos.

A atribuição dos prémios do 6º MTB decorreu da seguinte forma:

Melhor Pandeireta: Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
Melhor Estandarte: TEUP – Tuna de Engenharia da Universidade do Porto
Melhor Solista: TEUP – Tuna de Engenharia da Universidade do Porto
Melhor Instrumental: Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
2ª Melhor Tuna: TEUP – Tuna de Engenharia da Universidade do Porto
Melhor Tuna: Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
Tuna Mais Tuna: Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior

Aqui fica novamente um agradecimento à Tuna TS e a todos os que fizeram deste um festival inesquecível, em especial ao público da cidade Porto, aos que acompanharam a Desertuna, e às fabulosas guias. Fica ainda um "até já!”.

Ficam também algumas fotos:








segunda-feira, 15 de abril de 2013

A Desertuna vai ao MTB 6.0

É já esta Quinta-Feira que a Desertuna vai partir rumo ao Teatro Sá da Bandeira no Porto a convite da Tuna TS - Tuna de Tecnologias da Saúde do Porto, para participar no MTB 6.0.

A todos os que se quiserem juntar a nós, fica aqui o convite e a garantia de um grande espectáculo.

O cartaz do evento:




Saudações Académicas.

XI FESTUBI e Festas da Raposa

Quinta-feira – Início das Festas

Mais um ano passou e mais uma edição do FESTUBI – Festival de Tunas da Universidade da Beira Interior – se concretizou. Desta vez e tal como já é  hábito ao longo das edições, o festival não se limitou à actuação no teatro, teve também a folia e animação que sempre o envolve.

Este ano o início do festival deu-se assim que a Milou saiu à rua com as suas festas da raposa. A Desertuna organizou uma festa da cerveja no pavilhão do Oriental de São Martinho. Apesar de a adesão à festa ter sido inferior à dos dias seguintes, a banda OSÍRIS com a sua boa música conseguiu animar a noite, seguindo-se o DJ RAFA que manteve esse mesmo espírito até ao final da festa.


Sexta-feira – Serenata Monumental

Sexta-feira, dia 5 de Abril, principiaram as actividades principais relacionadas com a décima primeira edição do FESTUBI. Ao contrário do previsto, as serenatas monumentais decorreram, por se temerem as peripécias que até então São Pedro tinha feito esta semana, no Teatro Municipal, contando com a participação da tuna anfitriã, a Desertuna, e três das tunas a concurso: Magna Tuna Cartola, TAUL-F – Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão e a Tuna de Medicina do Porto. A Azeituna teve alguns contratempos com o transporte, acabando por chegar demasiado tarde para marcar presença em palco.

Durante as serenatas dirigidas às donzelas presentes na Sala, o nosso irmão, Pedro Neves, encarregou-se, como já vem sendo um hábito, de abrilhantar a calorosa noite com uma apresentação recheada de bom humor e disposição.

Anunciado no dia seguinte, o prémio de Melhor Serenata foi entregue à Magna Tuna Cartola. Depois de acesa a chama pelas melodias interpretadas pelas várias tunas, o calor sentiu-se nas festas da raposa que, de seguida, decorram no Pavilhão desportivo do Oriental de S. Martinho.

O propósito das festas era gerar convívio entre tunas e público que assistiu a esta noite de serenatas, tendo sido o objectivo bem alcançado. Com a ajuda da banda PORTUGUÊS SUAVE, a Desertuna deu uma grande festa. O pavilhão estava muito melhor constituído que na noite anterior e enquanto os PORTUGUÊS SUAVE tocavam as músicas nacionais mais conhecidas ouviam-se várias pessoas a acompanhar, sempre com um sorriso na cara, ou seja, o espírito característico de um festival deste género.


Sábado – XI FESTUBI, “O espectáculo”

Depois de uma noite muito animada pelo já conhecido bagaço com mel (ou hidromel, como alguns dos membros das tunas lhe chamam) e pela música até altas horas da manhã, as tunas foram recebidas com um caloroso dia de sol, que convidava ao próximo marco deste festival, o pasacalles. Os moradores da Cidade Neve mostraram-se muito acolhedores e receberam com grande animação as tunas que passaram pelos vários bares e ruelas da Covilhã. Neste “desfile” as tunas puderam mostrar um pouco mais do espírito vivido no mundo tunante, característico da cidade de onde cada uma provém.

Já o relógio marcava as 22 horas do dia 6 de Abril, quando teve início o evento principal, no Teatro Municipal, que se apresentou como uma sala cheia, perante a Desertuna, as tunas a concurso e os convidados especiais Pedro Neves e Quinta do Bill.

Estes últimos foram responsáveis pela abertura do Festival, subindo a palco com uma notável boa-disposição que se reflectiu numa calorosa recepção por parte do público presente. Depois de cantarem alguns dos seus temas mais conhecidos, como “Se te amo”, a Desertuna juntou-se a eles para, juntos, cantarem a “Caloirinha dos meus sonhos”, uma adaptação da música “Voa” desta banda. O momento ficou para a história deste festival e pareceu agradar a todos os envolvidos.

Introduzidas pelo apresentador Pedro Neves, que não deixou de proferir piadas até sobre alguns dos membros da tuna da casa, as tunas a concurso apresentaram as suas actuações pela seguinte ordem: Tuna de Medicina do Porto, TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão, Azeituna e Magna Tuna Cartola.

Um dos momentos mais marcantes da noite foi protagonizado pelo pequeno Afonso Neves, que parece seguir já as pisadas do pai, levando a plateia do Teatro ao rubro com momentos de risadas e cantorias.

Depois das 4 tunas apresentarem o seu repertório de festival, foi chegado o momento da tuna organizadora subir a palco e dar a conhecer aos presentes algumas das suas músicas mais emblemáticas, como Ronda a Tuna, Covilhã, Toninho e Odisseia.

O início da actuação da tuna da casa foi marcado pela apresentação de um vídeo biográfico, que retratava as aventuras e desventuras da nossa pequena mascote, Milou, e da sua entrada para esta família. Os presentes, bem como os próprios Desertunos, demonstraram sentir um misto de emoções: ora ternura, ora alegria e risadas. Milou, este será o nome que mais marcou este festival, o XI FESTUBI  por lhe ter servido de tema central, uma homenagem a este pequeno animal que tão adorado é pela Tuna e pelos que a acompanham.

Finalizadas as actuações, deu-se a entrega de lembranças e prémios a concurso. Os prémios atribuídos foram:

Melhor Pasacalles - Prémio Fundação INATEL - TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão
Melhor Estandarte - Magna Tuna Cartola
Melhor Pandeireta - Tuna de Medicina do Porto
Melhor Solista - Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho
Melhor Instrumental - Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho
Melhor Tuna - Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho

Findo o espectáculo, era hora de comemorar, assim seguiu-se a última noite das festas da raposa. Foi mais uma noite de “casa cheia”, com a presença de todas as tunas, grande parte do público e todos aqueles que quiseram prolongar a noite com bastante folia. Contámos com a presença do GIGAS DJ que manteve o ambiente ideal para o encerramento oficial de mais uma edição do FESTUBI.

Para veres algumas fotos do festival acede a este link: 

Ou mantém-te atento(a) ao nosso facebook: https://www.facebook.com/Desertuna 


Domingo – Almoço de Convívio

Depois de uma fatídica noite de comemoração pelos prémios ganhos e pelo sucesso do festival, as tunas despediram-se num almoço de convívio, nos Leões da Floresta. Nesta tarde, em que a música e boa disposição continuaram a marcar presença, foram entregues os dois últimos prémios do FESTUBI  Tuna mais Tuna, entregue à TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão, e ainda o prémio de Tuno mais Toninho, atribuído ao "Thyrs" (membro da TAUL-F), por ser considerado o tuno que está sempre presente e com mais espírito de boémia, tal como é retratado o Toninho (António “Bin Laden Jr.” Vieira), Xá da Desertuna.


Resta-nos agradecer a todos os que tornaram este festival possível, todos os patrocinadores, a todas as tunas participantes e respectivas guias, aos Quinta do Bill, e todos que de forma directa ou indirecta deram a sua ajuda. Um agradecimento especial aos nossos afilhados da TUSALD que se deslocaram em peso para assistirem ao nosso festival e por fim um agradecimento ao magnífico público que mais uma vez encheu o Teatro Municipal e nos deixou orgulhosos do trabalho que fizemos.


Saudações Académicas.